Código EAN: entenda a importância desse código para o varejo.

O Código EAN (european article number) ou código de barras, como é mais conhecido no Brasil, funciona como um documento de indicação do produto, como se fosse um CPF para nós. Assim como os nossos documentos, o código EAN também é único e exclusivo de cada produto.

Pra que serve este código?

Com a leitura desse código específico pode-se extrair diversas informações sobre determinado produto, como: sabor, composição, unidade de medida e a descrição exata do produto.

Outro fator importante do código EAN é a diferenciação de produtos que são praticamente iguais mas tem uma caraterística diferente. Por exemplo; um pacote de batata chips de 200g terá o código EAN diferente do pacote de 180g, mesmo que o sabor, a marca e a composição seja igual. Isso é uma característica que ajuda tanto em questões fiscais quanto em gestão, como na organização do inventário de um supermercado.

Então o código EAN do produto nunca muda?

Errado. O código EAN é sim passível de mudanças e elas são guiadas diretamente pelas mudanças nos produtos. Qualquer mudança que um produto tenha faz com que o código se altere. Mesmo que a mudança em questão não seja diretamente no produto, como por exemplo a cor da embalagem. Até as mínimas mudanças fazem com que o EAN seja alterado para que não haja problemas na comercialização dos produtos.

O Código EAN pode ser reaproveitado?

Não. Exatamente por mudar a cada alteração do produto é que o código não pode ser reaproveitado. Reaproveitar um código EAN atrapalharia principalmente a organização do estoque em um varejo e resultaria também em possíveis erros na análise tributária dos produtos.

Onde o Código EAN é valido?

O EAN é um código que foi criado fora do Brasil e pode ser utilizado internacionalmente. A versatilidade deste código entre os países contribui para fiscalização e permite que as exportações e importações sejam feitas com mais velocidade.

Como posso aproveitar as vantagens do Código EAN?

Um coletor de dados e um sistema que tenha integração com esse coletor, como o Uniplus fornecido pela Ideal Sistemas, é o indicado para se obter todas as informações do código do produto selecionado e poder aproveitar ao máximo as vantagens do EAN.

Conclusão:

Atualmente o varejo não existe sem o código EAN, ele é o grande aliado do varejista quando se fala em organização de estoque, é de grande importância para que se evite erros e falhas de gestão e problemas com emissão de NFe.

Precisa de um sistema que te ajude na gestão fiscal e organizacional do seu varejo? Entre em contato conosco, será um prazer ajudar sua empresa!


Como Usar Omnichannel Para Vender Mais

Conheça a tendência que propõe uma junção de todos os canais de atendimento disponíveis para se chegar ao melhor atendimento e finalizar vendas com mais êxito.

O que é Omnichannel?

Está expressão pode causar estranheza mas o OMNICHANNEL nada mais é que uma tendência do varejo do que a utilização de vários canais para realizar uma venda, mas mantendo a mesma experiência independente do canal utilizado.

O foco principal desta tendência é fazer com que o cliente não veja diferenças nas facilidades entre uma compra online e offline. Fazendo assim, com que a venda possa seguir um fluxo mais descomplicado e com mais facilidade para qualquer usuário.

Em que meu varejo ganha aplicando o Omnichannel?

O seu cliente terá mais opções para encontrar e comprar os seus produtos. Com vários modos de comunicação e de vendas, todos os públicos se sentirão incluídos e consequentemente sua empresa terá mais vendas computadas.

Outro benefício importante é a economia de tempo, que será positiva tanto para seus clientes quanto para seu varejo. Essa flexibilidade é uma ótima ferramenta em vários casos, como em retiradas, trocas ou devoluções de produtos.

Mas afinal, como posso aplicar a Omnicanalidade no meu varejo?

O primeiro passo para aplicar essa técnica é o estudo dos canais que seu cliente utiliza, ou seja, para haver uma execução perfeita do omnichannel, é necessário que o varejista esteja presente em todas as plataformas que seu cliente e/ou publico alvo está presente. Note que também é muito recomendado que a venda possa ser concluída por todos esses canais e não somente o atendimento.

O varejista deve focar sua atenção em fazer com que a diferença entre o off-line e o online não seja percebida em vários âmbitos: no tratamento com o cliente, na velocidade de resposta, no tempo de entrega, na simplicidade em encontrar o que procura e concluir a compra.

Monitorar os resultados é outro ponto importante em que se deve atenção nesta estratégia. Se o foco da estratégia é ter uma maior quantidade de vendas, então é necessário que haja um comparativo dos números e resultados para que se chegue ao objetivo definido no começo do projeto.

O feedback dos clientes é a fonte mais importante e que deve ser mais respeitada para se fazer uma análise dos resultados. Análise as vendas concluídas e principalmente as que não tiveram sucesso, veja o que aconteceu diretamente com seu cliente para a venda não ter sido fechada e use este feedback para melhorar suas táticas e garantir vendas futuras.

Precisa de um sistema completo para seu varejo? Fale com a Ideal Sistemas:

ICMS: Como calcular esse imposto?

O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços é uma das obrigações fiscais inseridas no comércio varejista e é um dos tributos mais importantes do Brasil. Quem atua no ramo que paga esse imposto tem por obrigação a inscrição no Cadastro de Contribuintes do ICMS, que é um imposto cobrado em caráter Estadual e no Distrito Federal.

Por ser cobrado de uma forma e cada Estado a alíquota aplicada é diferente mas a CONFAZ por meio do Convenio de ICMS, assegura que haja algumas leis em comum que sejam praticadas em todos os Estados. Por vezes, a forma como os impostos são aplicados pode causar confusão em comerciantes que trabalham comercializando de forma interestadual.

Sendo a maior forma de arrecadação de recursos financeiros de muitos Estados e aplicando-se até em produtos importados, o ICMS se aplica em diversos produtos diferentes e a alíquota total do produto é aplicada no final do processo, quando o cliente os adquire. Porém, a cobrança do ICMS se faz durante todas as etapas, da indústria para o distribuidor, do distribuidor para o varejista e do varejista para o consumidor final. Dada a importância desse imposto aumenta-se a seriedade pela qual deve ser tratada a forma de calcula-lo. Vamos aprender:

Como Calcular o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços:

A primeira coisa que o comerciante deve saber quando for calcular o ICMS é a alíquota que é cobrada em sua UF. Para exemplo, vamos utilizar a alíquota do Estado do Espirito Santo.

É necessário saber também que nem todos os produtos sofrem a mesma cobrança e que ela pode variar de 7% a 35% dependendo da mercadoria. No Estado Capixaba a maioria dos produtos sofre uma cobrança de 17%, então utilizaremos ela para calcular. O cálculo se faz assim, é simples:

Preço do Produto X Alíquota Praticada no Estado = Valor do ICMS da Mercadoria

Um produto que custa 300 reais e sofre uma alíquota de 17% tem um ICMS no valor de R$51,00.

300 X 17% = 51

Comecialização Interestadual:

Nesses casos a atenção deve se voltar para as diferenciações entre as alíquotas de cada Estado. Mas não precisamos criar pânico, existe uma criação do Governo Federal que auxilia nessas operações, o DIFAL.

O Diferencial de Alíquota existe para garantir que não exista uma diferença muito brusca de cobrança entre Estados. Com uma grande diferença, as ações comerciais focariam somente na localidade com as alíquotas mais baixas e a concentração de renda não teria uma distribuição de forma igualitária. Atualmente, a arrecadação de ICMS é distribuída de forma gradual entre o Estado receptor e o que está enviando a mercadoria. Um bom Sistema de Automação Comercial como o Uniplus faz isso de forma automática, é só configurar a entrada e saída do produto e o cálculo é feito pelo nosso sistema.

Onde se aplica e onde não se aplica o ICMS?

Ficou alguma dúvida sobre esse assunto ou esta procurando um sistema de gestão perfeito para seu varejo? É só entrar em contato com a Ideal: 

SPED Fiscal: O que é?

Esse termo é comum no dia-dia dos varejistas brasileiros, mas não é difícil que a maioria das pessoas que se deparam com esse em seu cotidiano não saibam o que ele realmente significa.

Então… o que é?

O Sistema Público de Escrituração Digital, ou SPED, é uma forma que o governo federal criou para facilitar o recebimento das informações fiscais e contábeis das empresas. Isso se faz por meio de um sistema que é uma central onde se realizam as obrigações empresarias com o FISCO.

Existem três projetos dentro do SPED

É com a integração desses projetos que se fazem possíveis as distinções de fiscalizações municipais, estaduais e federais. Os três projetos são:

SPED Contábil: é o SPED onde são registradas todas as ações da vida contábil de uma empresa, que em conjunto com a contabilidade entrega essas informações a Receita Federal.

SPED Fiscal: Com ele, a Receita Federal e os órgãos fazendários estaduais recebem dos contribuintes todas as informações que precisam sobre a apuração de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

SPED Contribuições: Apura os valores referentes aos impostos do PIS e COFINS em caráter Federal.

Assim, fica muito mais fácil e rápido para os governos conseguirem realizar o fisco e também garante que haja o cumprimento das obrigações fiscais por parte dos comerciantes. Outro motivo do SPED ter sido criado é a facilidade de acesso as obrigações e informações fiscais por parte dos contribuintes.

Além disso, o SPED também é o responsável por aposentar a necessidade da escrituração fiscal e contábil de forma física.

A introdução do SPED na vida do varejista trouxe algumas vantagens significativas como a que foi citada acima, com a redução dos gastos em impressão e papel. Mas esse não é o único beneficio que o SPED traz. O SPED também trouxe uma padronização da forma de envio de informações, ação que reduz a burocracia e o tempo que o varejista gasta para realizar essas obrigações e evita ocorridos gerados por desorganização como a sonegação involuntária que pode resultar em multas e muita dor de cabeça para o comerciante varejista.

Conclusão

SPED é um assunto muito grande e complexo. O intuito desse artigo é informar sobre o básico dessa forma de fiscalização e introduzir um assunto que será abordado mais a fundo nos próximos posts do blog, fiquem de olho!

Ficou alguma dúvida sobre esse assunto ou esta procurando um sistema de gestão perfeito para seu varejo? É só entrar em contato com a Ideal:

Como Funciona a Substituição Tributaria?

O governo federal tem diversas formas de arrecadar tributos, seja de pessoas físicas ou de empresas. No caso desse segundo, a substituição tributária é uma das formas mais conhecidas. O que caracteriza essa forma de tributação é o fato de que a empresa fica responsável por pagar os custos referentes ao tributo incidente sobre a circulação de mercadorias.

A substituição tributaria faz com que o processo de fiscalização e tributação dos produtos plurifásicos seja bem menor e com menos burocracia. Um tributo que antes seria recolhido varias vezes passa a ser recolhido uma vez só com a substituição tributária.

Onde é inserida essa tributação?

A tributação vareia entre estar presente na cobrança do ICMS ou na regulamentação do IPI, o que definirá essa distinção é o produto que será tributado.

Tipos de Tributação:

Substituição para Frente: Neste ponto, o estabelecimento que produz o produto é quem paga todas as taxas que seriam futuramente cobradas de seus clientes, ou seja, a indústria paga toda a tributação; a dele, a do atacadista e do varejista.

Substituição para Trás: se caracteriza por ser o contrario do processo anterior. Aqui, quem paga esta no final, ou seja, quem pagará a tributação é a ultima pessoa que participa da cadeia de circulação do produto.

Substituição: ocorre quando o contribuinte, em determinada operação ou prestação, é substituído por outro. Mas só pode haver essa substituição entre contribuintes presentes no mesmo negócio jurídico.

Quando Ocorre Essa Substituição Tributaria?

Segundo o SEBRAE “O regime da sujeição passiva por substituição tributária aplica-se nas operações internas e interestaduais em relação às operações subsequentes a serem realizadas pelos contribuintes substituídos.”

Ou seja, A ST ocorre de forma diferente dependendo dos Estados que estão aplicando a mesma. Mas também há grandes variações que dependem do tipo de mercadoria que está sendo comercializada. Alguns exemplos mais comuns das mercadorias que sofrem substituição tributaria são: motocicletas e automóveis; fumo; tintas e vernizes; refrigerantes, chope, cervejas, água e gelo; combustíveis e lubrificantes; material elétrico; e cimento.

Conclusão:

Para saber exatamente quando se aplica essa tributação, o indicado é conhecer as leis fiscais dos Estados que sua empresa atua. Para não haver erros e surpresas.

Ficou alguma dúvida sobre esse assunto ou esta procurando um sistema de gestão perfeito para seu varejo? É só entrar em contato com a Ideal:

Código CEST e Como Utiliza-lo

Desde sua criação, em 2018, o CEST é motivo de algumas duvidas dos comerciantes varejistas que são sempre diretamente afetados, de formas positivas e negativas, com as constantes mudanças de leis referentes ao varejo brasileiro. Neste artigo esclareceremos as duvidas mais constantes quanto ao uso desse código.

O Que é o CEST?

O CEST, ou Código Especificador da Substituição Tributária, foi criado com o intuito de simplificar o processo que gera dados para a SEFAZ e com isso facilitando na fiscalização por parte do Estado. O CEST, que contem 7 dígitos, funciona como um método de padronização e identificação de mercadorias e bens que estão sujeitos à substituição tributaria.

Por exemplo, se o NCM do produto está sujeito a substituição tributaria, é seu dever informar os números do CEST para que possa ser realizada a movimentação da tributação do mesmo.

Onde Posso Encontrar a Tabela do Código CEST?

Agora que você já sabe o que significam os números do código CEST, saberá também onde encontrar a tabela completa. Esta tabela fica localizada esta na pagina da CONFAZ e pode ser acessada clicando aqui. E também existe um site oficial do próprio CEST criado pelo governo que você acessa clicando aqui.

Eu Sou Obrigado a Utilizar o CEST?

A obrigatoriedade da utilização do código CEST é para todas as empresas que emitem NFe (Notas Fiscais Eletrônicas). O comerciante ainda é obrigado a utilizar o CEST mesmo se o Estado não for participante de distribuição tributaria ou se a operação realizada não for uma venda.

Um Software de Automação Pode me Auxiliar Com o CEST?

Um bom software como o UNIPLUS, disponibilizado pela Ideal Sistemas, auxiliará o varejista a extrair um relatório, observando os NCM´s que possuem mais produtos com incidência de substituição tributária. O UNIPLUS também consegue, de forma automática, realizar as conferencias e faz com que o varejista ganhe tempo e tenha mais segurança.

Entre em contato com a Ideal Sistemas para tirar duvidas sobre esse e outros temas:

Como Ficará o Varejo Após Vacinação?

Ainda não sabe-se ao certo quanto tempo levará para o Brasil ter toda a sua população vacinada. O que já se sabe é que alguns Estados, como São Paulo, começaram a vacinar sua população ainda neste primeiro mês do ano. O que é uma boa noticia tanto para o público em geral quanto para os comerciantes varejistas que foram assombrados pelo fantasmas das portas fechadas no ano de 2020.

É ótimo saber que os varejistas irão, aos poucos, voltar a ter um contato com o publico de uma forma mais parecida com a que era antes da pandemia. Porem, isso ocorrerá de forma gradativa e as primeiras pessoas a serem vacinadas são as que se enquadram em grupos de risco, como os idosos, por exemplo.

Uma das principais características definidas nessa época de pandemia foram o aumento das compras digitais e dos serviços de delivery, algo que já vinha sendo cada vez mais aceito no país e que se definiu como uma ótima opção de mercado em 2020. Essa modalidade de venda tende a crescer mais ainda em 2021, pois o público aprendeu a confiar e depender das vendas digitais e receber seus produtos via delivery.

Muitos estabelecimentos tem planejado a criação de espaços mais abertos para manter os clientes dentro do ambiente, porem de forma mais segura. Já começamos a ver indícios de locais que divulgam seu estabelecimento com espaços “open air”. Ou seja, bares, restaurantes, sorveterias e estabelecimentos do mesmo segmento tem divulgado espaços ao ar livre para atender seus clientes com mais segurança.

Outro tipo de mercado prestes a expandir no pós vacina são as lojas que mesclam o digital com o físico e permitem compras no site e retirada na loja. Como muitas pessoas ainda terão receio sobre o vírus e alguns lugares demorarão mais para receber a vacina, esse hibrido de loja digital e física ajudará muito pois o tempo de permanência de um cliente na loja reduz pois ele já comprou o produto no site, e assim a segurança do estabelecimento é maior.

Lojas dentro de condomínios ou bairros mais distantes do centro também são tendências para os próximos anos por serem estabelecimentos que os clientes compram principalmente por questão de segurança e mobilidade, já que um estabelecimento dentro de um condomínio traz facilidade e acesso rápido a produtos por pessoas que ali residem. Outro ponto positivo desse tipo de comercio quando se pensa com relação ao corona vírus é que por serem próximos do publico alvo, evitam que os mesmos tenham contato com muitas pessoas antes e durante a compra.

Vale lembrar que as algumas dessas tendências envolvem segurança com relação ao vírus mesmo pós vacinação porque algumas vacinas ainda estão em fase de desenvolvimento e não se sabe ao certo sobre a eficácia contra transmissão do vírus.

Quer saber mais sobre tendências do varejo em 2021 ou precisa de um sistema fiscal e de gestão perfeito para seu varejo? Nos envie uma mensagem:

Os Efeitos da LGPD no Varejo

LGPD ou Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais é a lei que regulamenta os dados pessoais, incluindo os dados digitais, de pessoas físicas e jurídicas. Essa lei tem o objetivo de proteger a privacidade, liberdade e o livre desenvolvimento da personalidade dos cidadãos brasileiros, sejam eles de direito publico ou privado.

O varejo será diretamente afetado por essa nova lei, recomenda-se atenção aos novos aspectos que essa legislação trará aos comércios brasileiros. Pelo fato de o varejo utilizar de dados dos seus clientes para criar estratégias de vendas mais fortes e também técnicas de fidelização, as informações dos seus clientes são diretamente utilizadas para vender mais. E é nesse aspecto que deve-se ter prudência.

Quais Serão as Mudanças?

A LGPD terá atuação direta em todos os tipos de empresas que operam coletando dados de usuários. Agora, com essa lei, a maneira como os comércios varejistas tratam os dados de seus clientes será fiscalizada de forma mais rígida por parte do Estado.

As empresas deverão ter o máximo de clareza possível nesse processo de arrecadação de dados. Desde a primeira parte do processo o cliente deve estar a par de como serão utilizados seus dados pela empresa solicitante dos mesmos. É indicado que logo no primeiro contato com o cliente, já seja explicitado que seus dados serão compartilhados e também é necessário que se explique o motivo da coleta como, por exemplo, oferecer um atendimento personalizado.

As mudanças trazidas com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais são, principalmente, para assegurar que as empresas trabalhem com transparência quando estiverem utilizando os dados de seus clientes. Garantindo assim, mais responsabilidade e segurança para informações privadas.

Quais Serão os Dados Protegidos?

Muito tem se falado sobre a proteção dos dados dos clientes, mas quais serão esses dados exatamente?

Os dados mais comuns a serem informados aos varejistas são, dentre outros, CPF/CNPJ, Endereço, Idade, Estado Civil, Dados de Saúde e Número do Cartão de Credito. Este ultimo nos atenta de como é importante uma proteção séria quando se trata dos dados do consumidor final.

Compartilhamento de Dados do Usuário

Existem vários meios pelos quais o compartilhamento de dados do usuário será necessário. Por exemplo, quando algum fornecedor ou parceiro do comerciante varejista solicitar uma base de clientes a seu parceiro, ele terá a obrigação de informar a seu cliente que irá repassar seus dados a terceiros. E deve-se saber que só pode ser realizado esse repasse de dados caso o cliente concorde com isso. O cliente tem total direito sobre seus dados, mesmo quando já concordou em passa-los a uma empresa. Os direitos do mesmo com relação a seus dados são:

  1. Não aceitar a coleta de dados;
  2. Escolher os dados que serão cadastrados e repassados;
  3. Corrigir os dados;
  4. Direito de solicitar que seus dados sejam excluídos dos sistemas;
  5. Sempre receber notificações quando acontecer algo relacionado aos seus dados;
  6. Receber cópia dos dados tratados que estejam de posse da empresa;
  7. Portabilidade de seus dados.

Multas

Todos esses direitos listados acima devem ser seguidos a risca pois como o varejo é o contato final com o cliente, é normal que quando o cliente pense em levantar uma ação judicial, o varejista seja o primeiro a ser afetado. Já existe caso de empresa que foi processada por passar os dados de seu cliente, sem sua permissão, a um fornecedor que usaria os dados do mesmo para divulgar produtos.

O ideal para evitar multas e processos é ter clareza na atuação. Redigir, junto a uma equipe especializada nesta área, um contrato de compartilhamento de dados que seja claro para ambas as partes já é um grande passo, que em junção a um controle de dados como a criptografia, por exemplo, são suficientes para evitar surpresas indesejadas desde que sejam atualizadas periodicamente para garantir que os dados do usuários estejam protegidos.

Fale com a Ideal Sistemas para tirar suas duvidas nesse ou em outros temas do Varejo:

Saiba as Tendências do Varejo para 2021

O varejo foi um dos mercados mais afetados pela crise pandêmica causada pelo Novo Coronavírus em 2020, ano que foi marcado por altos e baixos para a classe varejista. Enquanto grandes varejistas como Jeff Bezos, dono da Amazon, viram suas fortunas aumentando cada vez mais, alguns não tiveram a mesma sorte como é o caso de Philip Green, bilionário e dono da enorme varejista estadunidense Topshop, que declarou falência no início do mês de dezembro.

O que resta para o mercado varejista no pós pandemia é se preparar para um novo ano com novas tendências mercadológicas e sociais que com certeza irão influenciar diretamente na forma como o varejo caminhará no ano de 2021.

Como vimos, nem os grandes estão imunes a quedas, e o que separa um exemplo do outro não é somente sorte. Entender o meio em que está inserido, se preocupar principalmente com uma boa experiência do consumidor e conhecer o mercado e suas tendências são os principais aspectos de um varejo de sucesso. Vamos conhecer uma lista com as tendências para o próximo ano?

E-commerce

Juntamente com um novo estilo de vida trazido pelo Covid-19, se estabeleceram também as formas digitais do comércio. Pessoas sem familiaridade com o e-commerce se viram obrigadas a fazerem compras de forma virtual, e com isso, perderam o medo que tinham desse método de comercialização de produtos.

Com mais pessoas utilizando o e-commerce, é de se esperar que 2021 seja ainda mais forte nesse aspecto do varejo. Assim como mais compradores começaram a se acostumar com o comércio virtual, também recomenda-se que os varejistas façam o mesmo e invistam em formas de atrair e atender o cliente, tanto pessoal como virtualmente.

Produtos Saudáveis

Mesmo sendo o ano em que a saúde esteve mais em pauta, a maioria das pessoas por terem ficado mais tempo em casa em 2020 acabaram não cuidando bem da alimentação e isso fará com que corram atrás do tempo perdido nesse ano que está por vir. Com estilo de vida mais saudável e um estilo de compra voltado a adquirir somente o que for necessário, os clientes do varejo de 2021 focarão em alimentações saudáveis e, de preferência, ecologicamente corretas. Investir nesses produtos é uma aposta correta para o varejo.

Marketing Sensorial

O marketing sensorial é uma técnica que tem como objetivo levar o cliente a comprar determinado produto com base nas experiências sensoriais dele. São estimulados o tato, a audição, o olfato, o paladar e a visão do cliente, com experiências como um ambiente limpo e cheiroso, com belas cores, música ambiente e algumas amostras grátis para o cliente provar antes da compra.

Essas técnicas criarão um atmosfera perfeita para a retomada de vendas e fará com que os clientes voltem a se adaptar à lojas físicas após passarem tanto tempo em casa e comprando praticamente tudo de forma virtual.

Realidade Aumentada

Quando se pensa em realidade aumentada logo vem a cabeça uma alta tecnologia distante do acessível, porém não é bem assim. Um exemplo muito comum de realidade aumentada são os códigos QR que já são tão usados pelos comerciantes em junção a apps como o PicPay. Somando-se a chegada do PIX agora neste fim de ano, 2021 promete envolver muita tecnologia a favor do varejo e vale investir nessa tecnologia para se ter um alcance maior de clientes. Tecnologia de realidade aumentada é praticamente usar a tecnologia para atrair e manter gradativamente mais clientes.

Entregas/Delivey

O delivery já vinha tomando força há algum tempo em vários países do mundo, inclusive no Brasil. Este ano de 2020 foi o ano que o delivery se consolidou de vez como uma das formas de comércio mais importantes para os varejistas. No ano de 2021, essa prática terá ainda mais força pois passou por um processo de aprimoramento, mesmo que forçado, por causa da pandemia. Uma boa dica para os varejistas é investir em entregas rápidas, e fretes grátis sempre que possível.

Conclusão

Os consumidores de 2021 estão mais dispostos a gastarem seu dinheiro com produtos que serão realmente úteis para eles, por isso o foco em alimentos saudáveis. Dentro do estabelecimento deve-se focar em uma experiência de compra confortável e garantir que os produtos cheguem o quanto antes até a casa do cliente. O ano que vem será um ano de muitas mudanças e recomeços, conte com a tecnologia para favorecer o crescimento do seu comércio varejista.

A Ideal Sistemas conta com sistemas perfeitos para o varejo, entre em contato com a gente e agende uma reunião para nos conhecer melhor:

Como Reduzir Custos no Varejo

O comércio varejista é um dos tipos de comércio mais importantes do nosso país e está presente no dia a dia de todos brasileiros. Junto com essa grande importância também existem grandes responsabilidades e tarefas a serem exercidas, muitas delas tem papéis de destaque a ponto de influenciar diretamente no faturamento mensal de um varejo. Uma dessas tarefas é a manutenção dos custos de uma empresa, assunto ao qual esse artigo será dedicado.

Dado o momento de crise global que estamos passando, é comum redução de carga horarias, férias coletivas forçadas, demissão de funcionário e nos piores casos o fechamento da empresa. Tudo isso se deve a tentativa de cortar gastos para manter um negocio em meio a crise. Quando isso não funciona, o infeliz destino é a ultima situação citada anteriormente. Abaixo encontraremos algumas dicas para evitar que isso aconteça com o seu comércio:

Identifique Onde Poderão ser Cortados Gastos

Uma das primeiras estratégias a se tomar é a analise de onde poderão vir os cortes, pois é dai que surgirão as outras etapas desse processo. Analise desde os produtos que são comprados para uso interno na empresa até mesmo os serviços prestados a mesma.

  • Escritório: Fique atento as tarefas desse departamento e opte por automatizar as tarefas repetitivas, fazendo assim com que seu pessoal tenha mais tempo para as tarefas que realmente precisam de mão de obra humana;
  • Conta de Luz: Outra questão que se deve ter muita atenção são com as contas mensais da empresa, focando principalmente nas contas de energia elétrica pois eletricidade é um dos recursos mais consumidos dentro de um varejo.

Automatize Tarefas Recorrentes

Caso você ainda esteja investindo em mão de obra manual para tarefas que são facilmente automatizadas como o controle financeiro, com certeza sua empresa está perdendo tempo e dinheiro.

A automação de tarefas como essa são de muita relevância para redução de custos em uma empresa. Pois com a automação os processos que levariam horas, ou alguns que podem até demandar dias para serem feitos, serão feitos em alguns instantes.

Defina Metas

No momento em que metas são definidas a tendência é de que exista uma facilidade maior em se alcançar a redução de custos pois o gestor chegará mais fácil a conclusão de onde se deve investir esforços para cortar gastos. A definição de metas vai explicitar quais os custos que devem ser reduzidos ou cortados, servindo como uma abertura de caminho para a execução do plano de corte de gastos.

Estoque

Tenha atenção redobrada com o estoque pois um volume muito grande e continuo demostra sinais que devem ser respeitados. Faça o possível para manter um numero especifico de produtos no estoque, o suficiente para não haver excedentes e também para não faltar. Os sistemas de gestão comercial, como o Uniplus, são um adianto muito grande e auxiliam muito em todo processo de controle de estoque.

Impostos

Já é de saber comum que o Brasil é um dos países com taxas de imposto mais altas do mundo. E isso afeta desde o grande empresário até o consumidor final. Fique atento as taxações impostas a produtos que você vende, de preferência tire duvidas sobre taxações com seu contador e invista num sistema de gestão que tenha ferramentas e módulos que organizam de forma esclarecedora onde estão sendo cobrados mais impostos sobre os produtos e quanto é cobrado, como o caso do modulo presente no Uniplus.

São muitos os aspectos que um varejista precisa ter atenção para poder reduzir os gastos de sua empresa, não é uma tarefa fácil mas com dedicação e com a ajuda de ferramentas de automação comercial torna-se menos complexa e muito mais rápida.

Ficou com alguma duvida sobre o assunto ou quer conhecer nossos produtos e serviços? Entre em contato com nós da Ideal Sistema e te auxiliaremos.

Nos envie uma mensagem:

6 Super Dicas para o Varejista Obter Sucesso na Black Friday

A Black Friday de 2020 ocorrerá no próximo dia 27/11 em meio a crises mundiais e com a economia desestabilizada, mas isso não é impedimento para o varejo ter um ótimo dia de vendas pois é o dia que muitas pessoas esperam o ano todo para utilizar as economias. A maioria dos comerciantes já estão prontos para um intenso fluxo de clientes em suas lojas neste dia. Sua empresa já está preparada para lidar com um contingente maior de pessoas e já sabe como proceder perante a possíveis problemas? Se não, não se preocupe. Nós preparamos um post especialmente focado em auxiliar você varejista nessa próxima Black Friday.

Anúncios

Os anúncios são sempre uma boa forma de divulgar uma promoção ou produto especifico. Na Black Friday os anúncios se tornam ainda mais importantes. Esses anúncios pagos garantem que suas postagens terão um alcance muito maior e consequentemente um interesse maior do público. Alguns dos anunciantes mais importante são os anúncios do Instagram, Facebook e Google Ads. Avalie qual das plataformas atende melhor seu publico e invista em propagandas.

Merchandising

Invista na sua equipe de merchandising pois é ela quem será responsável pelo visual positivo que sua empresa quer passar para obter clientes nesta Black Friday. Caso você não tenha uma equipe voltada somente ao merchandising, faça você mesmo o marketing da forma que achar lucrativa ou contrate um freelancer para fazer esse trabalho nesse curto período de tempo.

Equipe de Vendas

A preparação de um bom vendedor é uma preparação não tão rápida pois leva tempo para o mesmo adquirir experiência e criar suas próprias técnicas de venda, mas isso não quer dizer que não há alternativas para a preparação de seu time de vendedores. O indicado a se fazer antes de eventos promocionais como a Black Friday é uma campanha de incentivo geral a sua equipe de vendas. Com uma campanha realmente incentivadora o time ganha forças e motivações para poder angariar mais vendas e faturamentos para seu comércio.

Promoções Verdadeiras

Não utilize aquela antiga técnica de aumentar os preços dos produtos antes da Black Friday só para a promoção parecer maior no dia em que for anunciada. Esse tipo de estratégia pode, mesmo que a longo prazo, resultar em perda de clientes e gerar uma possível mancha na reputação dos seu estabelecimento. Lembre-se, é melhor uma promoção com um desconto um pouco menor mas que seja verdadeira, do que uma promoção com descontos muito chamativos mas que no fim são fraudulentas.

Descontos Progressivos

Uma estratégia que tem um alto índice de retorno positivo são as vendas com descontos progressivos. Essas vendas não são nada mais do que uma técnica que as lojas utilizam para poder vender um numero maior do mesmo produto. Por exemplo: quando o cliente comprar somente um produto, o desconto é de 5%, quando comprar três o desconto é de 15% e assim sucessivamente. Com isso, ativa-se um gatilho mental no cliente que faz com que ele considere essa oportunidade como única e lucrativa e acabe levando mais de um produto.

Comunicação e Divulgação

Após ter toda sua estratégia de vendas montada, elabore uma forma simples e clara de divulgar seus produtos ou serviços. É uma época onde todos estão fazendo promoções, a que ficar de mais fácil entendimento para o cliente já está um passo a frente das demais.

Agora é só se preparar, elaborar estratégias e ter um ótimo dia na Black Friday. Boas Vendas! E se precisar tirar duvidas sobre esse ou outros assuntos ou conhecer melhor os nossos produtos e serviços, entre em contato com a Ideal Sistemas e será um prazer pra nós podermos ajudar.

Nos envie uma mensagem:

Quais os Benefícios do PIX no Varejo

Neste artigo nós explicamos o que é e como funciona o PIX. Logo, o artigo de hoje tem como objetivo fazer um enfoque maior nos prós e contras do PIX dentro do varejo, tanto para o lojista quanto para o consumidor.

Quais os benefícios do PIX para o lojista?

O PIX trará muitos benefícios para o comerciante que utiliza-lo com preparo e atenção pois será revolucionário em aspectos como rapidez e segurança, por exemplo.

  • Velocidade: PIX terá pagamentos instantâneos, ou seja, o comerciante receberá o valor do que foi vendido somente alguns segundos após a efetuado o pagamento, e o PIX também estará disponível 24 horas por dia e 7 dias por semana.
  • Menos Riscos Operacionais: Um dos principais objetivos do PIX é reduzir cada vez mais o uso do dinheiro em papel. Com isso, o PIX consegue fazer com que sejam reduzidos também os riscos operacionais, isto é, o varejista terá menos problemas com armazenamento e contagem das cédulas.
  • Redução no Custo das Transações: Um grande diferencial do PIX pras transações atuais (TED e DOC) é que ele praticamente não cobra taxa de transações para pessoas físicas. O operador financeiro não cobrará mais a quantia que cobra atualmente em pagamentos digitais a vista (débito). Ainda existirão pequenos custos para instituições financeiras: R$ 0,01 a cada 10 transações.
  • Incentivo ao Usuário: Por ser mais fácil, rápido e barato que as formas atuais de pagamento por cartões e transferências, o PIX incentiva o usuário a depender cada vez mais disso e isso beneficia o comerciante por ser mais fácil ainda de se pagar/receber.

Após entender os benefícios muitos lojistas se interessarão pelo PIX, não fique de fora e descubra agora como implantar esta forma de pagamento em seu varejo.

O que o Lojista Precisa Fazer para Implantar o PIX em seu Comércio?

O lojista terá que contar com terceiros para poder adicionar este método de pagamento em sua loja. Os principais responsáveis por implementar o PIX nos varejos serão os fornecedores dos PDVs. Empresas que estão sempre se atualizando para fornecer as novidades a seus clientes já estão trabalhando para implementar o PIX em seus sistemas de gestão comercial. O Sistema Uniplus fornecido pela Ideal Sistemas é um dos primeiros a ter o PIX integrado em seu PDV, ou seja, varejistas que são clientes da Ideal Sistemas não terão dores de cabeça para adicionar o PIX em seus comércios.

Quais os Benefícios do PIX para o Comprador Final?

Não serão somente os comerciantes a serem beneficiados com esta nova ferramenta do Banco Central. Os consumidores também contarão com alguns benefícios:

  • Versatilidade: A fluidez e instantaneidade dos pagamentos realizados pelo PIX juntamente com o código QR trazem uma enorme versatilidade para os clientes que optarem pagar desta forma.
  • Código QR: Somente mais um forma de pagar com o PIX, porem essa é a mais rápida. O usurário terá que ler com a câmera do seu smartphone o código QR, que no caso do Uniplus se encontrará na tela do PDV, e confirmar o pagamento. Este meio é muito parecido com o PICPAY, porém com uma taxa de resposta mais rápida.
  • Múltiplas Formas de Transferência: o PIX conta com transferências entre duas pessoas; pagamentos de serviços online e presencial; transferências entre empresas e até mesmo transações envolvendo o governo.
  • Custo Zero: Isso mesmo, contrariando os métodos atuais de pagamento como TED e DOC que cobram taxas a cada movimentação, o PIX terá taxas zero para pessoas físicas.

Procure o fornecedor de Sistema de Gestão da sua empresa para esclarecer suas duvidas e começar a implantar o PIX o quanto antes. Caso o seu sistema não ofereça essa ferramenta ou apresenta falha em outros aspectos, conheça o Uniplus e fale com a Ideal Sistemas, será um prazer te atender:

Como Gerar Negócios com o WhatsApp

Conforme passa o tempo, o Whatsapp fica cada vez mais aprimorado e com funções adicionais. Essas funções, quando corretamente exploradas, podem render grandes avanços no comércio varejista. O app tem características que permitem aspectos como a fidelização de clientes e até mesmo aviso de cobranças, quando necessário.

A primeira prática a ser executada quando se tem intenção de implementar o Whatsapp na sua empresa é informar a seus clientes que começará a utilizar esta ferramenta de maneira profissional. Disponha desse momento para informar aos seus clientes que o Whatsapp não será usado somente para vendas e sim para outros benefícios como promoções. Assim, seu cliente terá mais interesse em fidelizar-se.

Após informar seus clientes sobre a novidade e definir para que será utilizado o Whatsapp em sua empresa, você deverá começar a organizar os processos necessários para executar com sucesso essa nova ferramenta.

Lembre-se: nunca cadastre clientes que não demostram interesse neste tipo de abordagem. Pois fazendo isso pode-se obter o efeito reverso e talvez seu comércio venha a perder clientes que se sintam incomodados com esse tipo de aproximação.

Organização de Clientes

Caso o seu comércio varejista seja de grande porte, você pode contar com um sistema como o Help360 que está sendo desenvolvido por nós da Ideal e já está em processo de finalização para realizar os processo organizacionais automaticamente para você.

Para comerciantes menores o indicado é a organização de forma mais simplista, seja por não dispor de capital suficiente para contratação de um sistema de Whatsapp ou por talvez não ser necessário dado o numero de clientes mensais desse varejo.

O primeiro passo é anotar e separar os clientes por classes. Exemplos dessas classes são clientes que são pais, clientes de certa faixa etária como jovens, clientes com estilos de vida variados como veganos e qualquer outro seguimento que você possa atender no seu varejo.

Após definidos esses grupos de clientes, o ideal é utiliza-los para divulgar as promoções. Assim, você atinge o público correto com as promoções e não divulga material desnecessário ou desinteressante a outros clientes.

Evite Grupos de Whatsapp

Grupos no Whatsapp, a princípio parecem uma boa ideia para divulgação dos produtos. Porém, a longo prazo podem vir a acontecer problemas de comunicação ou até mesmo brigas entre os membros. Outra situação que pode acontecer são clientes que irão ficar irritados por estarem em vários grupos e acabarem saindo do seu.

Apesar de ser um contato bem próximo com os clientes, o grupo ainda não é o Ideal pois a negociação ou as duvidas que surgirão são mais sérias ou pessoais do que é comum de ser discutido em grupos.

O mais recomendado é o contato direto com o privado do seu cliente, para facilitar o esclarecimento de dúvidas e manter uma aproximação mais firme com um atendimento personalizado.

O único problema seria mandar as promoções cliente por cliente, não é mesmo? Para isso existem as listas de transmissão, que são uma mão na roda no momento de divulgação de promoções.

Lista de Transmissões

Tendo em vista todos os problemas gerados por grupos, as listas de transmissão servem para suprir a necessidade de divulgar para uma grande quantidade de pessoas, sem precisar adiciona-las em grupos.

Funciona assim: você define os clientes que estarão dentro de uma lista de transmissão, envia suas promoções para ela, e as promoções chegarão como uma mensagem privada no numero de cada cliente, assim como as respostas dos mesmos virão de forma privada para você.

É possível que se crie inúmeras listas, então você pode utilizar a separação de clientes, que foi realizada em uma das primeiras etapas desse processo, e definir listas para cada um desses grupos.

Veja abaixo como criar uma lista de transmissão no Whatsapp:

(fonte: techtudo)

Crie Estratégias

Elabore promoções com boas estratégias para atrair seus clientes. Desenvolva promoções com base em gatilhos mentais, como a regra da escassez: “ultimas unidades” ou uma promoção de tempo limitado para que gere um interesse maior e uma necessidade maior de comprar o quanto antes para não perder a oportunidade.

São várias as estratégias que podem ser criadas para venda, parte de cada seguimento saber desenvolver uma a melhor para a área e utiliza-la da melhor forma nas listas de transmissão do Whatsapp.

Adicional

O Sistema Uniplus, que é o sistema fornecido por nós da Ideal, tem integração direta com o Whatsapp e abre caminho para um aproveitamento ainda melhor deste app como uma ferramenta profissional.

Dúvidas sobre o artigo ou quer conhecer melhor nosso Sistema Uniplus? Entre em contato:

Por que a Automação Comercial é tão Importante para o Varejo?

A Automação Comercial é algo que por vezes assusta o empresário do ramo varejista, principalmente em seu primeiro contato com esse tipo de software. O problema é que nos dias de hoje o comerciante que não se atualiza e utiliza um sistema de automação comercial está perdendo tempo e dinheiro.

Alguns comerciantes chegam a optar por continuar na utilização do antigo método manual. Será que essa pratica tem garantia de segurança e administração total de todos os elementos de um varejo, desde controle de estoque a pagamentos de funcionários?

Atualmente, com todos processos dentro de um estabelecimento comercial, o controle total é impossível sem um gerenciamento virtual com um sistema de automação de qualidade. Durante esse texto serão apresentadas as soluções geradas quando é implementado um sistema de automação no varejo.

Logística

Uma das coisas mais presentes e que demandam mais tempo na vida de um varejista é o controle de estoque, onde uma das principais dificuldades é fazer um balanceamento entre não encher o estoque a ponto de faltar espaço e manter uma boa quantidade de produtos para conseguir suprir os pedidos dos clientes. O tempo perdido nas tarefas relacionadas ao estoque podem ser facilmente supridas por um sistema de automação comercial inteligente.

Controle de Vendas

Com um sistema de automação, a administração das vendas é feita em tempo real, com um controle instantâneo e automatizado registrando, entre outras coisas, quais produtos foram vendidos e os seus respectivos preços.

Maior Segurança

O comercio varejista tem um fluxo continuo de dinheiro em caixa e isso, infelizmente, chama a atenção de funcionários e clientes mal intencionados.

Com um sistema de automação comercial, haverá muito mais dificuldade de pessoas com más intenções fraudarem o momento da venda, devido a automatização e registros que o sistema tem. Outro beneficio oferecido é o controle de caixa quem vem juntos com os relatórios disponíveis ao fim do dia caso o comerciante queira administrar com mais profundidade esse âmbito.

Controle de Receita

O controle de receita, ou controle do faturamento é uma tarefa que para ser executada com sucesso depende de automação. Pois controlar o faturamento de uma empresa depende de várias operações e com um sistema de gestão isso fica muito mais simplificado pois as etapas são separadas de forma melhor organizada do que seriam em simples planilhas ou manuscritas.

A partir desse controle mais elaborado, o comerciante poderá saber com mais facilidade de onde estão vindo os seus lucros e prejuízos, monitorando melhor o fluxo de dinheiro de sua empresa e utilizando esses dados para poder criar estratégias que o vão render um lucro maior.

Coleta de Dados para Estratégias Futuras

Como citado acima, essa retenção de dados que um sistema traz consigo é muito poderosa e pode ser usada de uma forma muito proveitosa na empresa. Pode-se, por exemplo, utilizar esses dados para gerar um balancete mensal e ter controle de quais meses tem um fluxo maior de compra ou de das vendas por funcionário.

Melhora no Atendimento

Seus clientes conseguem ter a percepção de uma boa organização na sua loja, não são só os produtos que garantem muitos clientes. Uma boa organização evita complicações como não saber informar ao certo o preço do produto e demora no processo de pagamento, não se esqueça que estamos na era do imediato e quanto mais rápido e fácil for o processo de compra para o cliente, mais chances tem dele voltar a comprar no seu comercio.

Quem Deve Implantar um Sistema de Gestão?

São muitos motivos para você implantar um sistema de gestão nó seu comercio. Então, se você está preocupado com o crescimento da sua empresa é recomendável que não tenha receio de investir em tecnologia, pois um bom sistema de automação com certeza irá trazer muitos lucros e economias para seu negócio.

Este é um assunto muito denso e que gera muitas dúvidas. Nós da Ideal estamos sempre disponíveis para esclarece-las, fale conosco:

Conheça a Gestão de NF-e no Uniplus.

O módulo Gestão de NF e é uma ferramenta que automatiza a entrada de notas fiscais de fornecedor no Uniplus. Ele consulta periodicamente os servidores da Sefaz (Secretaria da Fazenda), recupera e processa os XMLs das notas e todos os eventos associados.

O grande benefício do módulo é mitigar a instabilidade dos servidores da Sefaz e importar as notas, cadastrando produtos, fornecedores e tributações, tudo de forma automática, com a intervenção mínima de um funcionário.

O que o Gestão de NF-e faz com a informação recuperada da Sefaz?

Nesse novo módulo, os XMLs de notas são automaticamente baixados e importados no sistema. Além das notas, produtos, fornecedores e tributações são cadastrados sem a intervenção de um funcionário.

Caso algum item não puder ser importado automaticamente pelo módulo, o sistema deixa ele pendente para um funcionário resolver apenas este item. O sistema memoriza a resolução aplicada e passa a usar ela automaticamente nas próximas notas do mesmo fornecedor. Ou seja, o sistema vai “aprendendo” com o passar do tempo. Além disso, os eventos relacionados às notas são registrados no sistema, como emissão de CT e e MDF e para a nota, carta de correção, cancelamento, etc.

O módulo também usa os dados do financeiro das notas recém importadas para alertar sobre o vencimento próximo de duplicatas.

Pra que tipo de estabelecimento o módulo seria vantajoso?

O módulo é útil para todos os estabelecimentos porque mitiga o problema de instabilidade da Sefaz , mas é especialmente vantajoso para estabelecimentos com um fluxo expressivo de notas de entrada, principalmente aqueles que trabalham com pedidos de reposição. Nestes casos as notas se importam praticamente sozinhas, sem a intervenção de um funcionário. Fica faltando apenas um clique para os lançamentos financeiros e de estoque. Isso sem dúvida gera uma boa economia de mão de obra.

O intuito deste artigo em especial é introduzir sobre a ótima forma como é gerida a NF-e no Uniplus, quem é cliente tem acesso a mais informações que só são uteis pra quem já conhece e/ou utiliza o Uniplus. Caso queira saber mais sobre esse módulo e conhecer melhor o Uniplus, nos envie uma mensagem e nós da Ideal ficaremos felizes em conversar com você:

Como Conferir a Compra de Mercadoria

Conferir a mercadoria nem sempre é um dos principais costumes dos varejistas, seja por considerar desnecessário ou até mesmo perda de tempo e dinheiro, mas não é bem assim. A conferencia de mercadoria angaria muitos benefícios para o comerciante varejista e evita estresses e problemas futuros.

Este recurso, quando aplicado corretamente, faz o processo contrário do imaginado. Garante controle de estoque, contem o desperdício e assegura que o varejista não perca tempo futuramente com conferências fora de hora. Para realização correta da conferência são necessários alguns cuidados que serão salientados ao decorrer deste artigo.

 

Treinamento de Funcionários:

Ter funcionários treinados em todas os departamentos é algo de extrema importância pra qualquer empresa. Quando o assunto é conferencia de mercadorias não há diferença. prepare seus funcionários para que possam realizar está tarefa de uma forma proveitosa e com um bom rendimento de tempo. Caso se faça necessário, organize eventos como palestras e mini cursos para preparação e fortalecimento de sua equipe. 

 

Recebimento do Produto

Uma das tarefas mais importantes na realização da conferencia é no momento em que seu produto chega. Caso essa parte do processo não seja concluída com êxito, todas as partes seguintes serão prejudicadas por erros anteriores. O recomendado é que você agende horários para entrega e faça com que esses horários sejam respeitados pelos seus fornecedores.

Não se esqueça que desde essa etapa você já pode contar com um sistema de gestão. Dependendo do sistema, poderá aceitar as notas ou desconhecer as que não tiverem vínculo com sua empresa diretamente no software, como é o caso do Uniplus

 

Avaliação Qualitativa e Quantitativa:

Após os produtos chegarem existem outras etapas importantes: avaliar se a qualidade e a quantidade dos produtos é a mesma que foi requerida no momento da realização do pedido de entrega. Um ambiente com boa iluminação e organização é o ideal para que não haja erros nesse processo. Verifique se a quantidade de produtos em cada lote é a mesma e se todos os lotes solicitados estão realmente a sua disposição. 

Depois de concluir a etapa quantitativa comece a avaliar a qualidade dos produtos recebidos. Retire os produtos das caixas e retire alguns de cada lote de forma aleatória para concluir se todos estão coincidindo entre eles e com o seu pedido. Verifique também a validade; a condição das embalagens ou do produto em si e se o produto está em perfeitas condições e bem apresentável. Separe os produtos amassados, rasgados, com lacres violados e notavelmente mais leve ou mais pesados que os demais para evitar que sejam vendidos produtos estragados a seus clientes.

 

Armazenamento dos Produtos:

Posteriormente a avaliação dos produtos é chegado o momento de armazena-los. É no instante da armazenagem dos produtos que os mesmos deverão ser devidamente etiquetados com as informações necessárias para seus clientes. Você pode agilizar as tarefas utilizando a tecnologia, um bom sistema, como o Uniplus, irá te auxiliar de varias formas nesse processo, desde a precificação até a organização de estoque. Neste momento, você utilizará seu sistema para a organização dos seguintes tópicos: 

  • Validade;
  • Quantidade;
  • Lotes;
  • Fabricante.

Em praticamente todas as etapas, desde a emissão do pedido, conferência e armazenamento, o uso de um sistema fiscal e de gestão é muito importante para poupar tempo, ter mais organização, controle de estoque e evitar gastos. Conte com a Ideal Sistemas para auxiliar seu comercio nessa em em outras etapas. 

Está buscando implementar um Sistema na sua empresa que te auxilie em tudo que precisar? Fale conosco:

 

O que é a Nota Fiscal Eletrônica (NFe)?

Você sabe o que é a NFe e como realizar a emissão e o armazenamento da sua Nota Fiscal Eletrônica? computer

Após o 1° Encontro Nacional de Administradores Tributários (ENAT), realizado no mês Julho de 2004 em Salvador, a NFe passou a ser a solução totalmente digital da antiga Nota Fiscal física (impressa em papel). A solução tinha como objetivo padronizar, fiscalizar e gerar mais praticidade nos assuntos que envolviam a Nota Fiscal. Esta solução, que não foi a única gerada neste encontro, trouxe mais benefícios para o meio social e igualmente para o setor comercial do país.

E quais são esses benefícios? Abaixo listamos os benefícios obtidos após a introdução da NFe e utilização da tecnologia de forma mais efetiva pelos FISCOS Federais, Estaduais e Municipais:

Benefícios para a Sociedade:

  • Redução do consumo de papel, com impacto positivo no meio ambiente;
  • Incentivo ao comércio eletrônico e ao uso de novas tecnologias;
  • Padronização dos relacionamentos eletrônicos entre empresas;
  • Surgimento de oportunidades de negócios e empregos na prestação de serviços ligados à Nota Fiscal Eletrônica.

Benefícios para as Administrações Tributárias:

  • Aumento na confiabilidade da Nota Fiscal;
  • Melhoria no processo de controle fiscal, possibilitando um melhor intercâmbio e compartilhamento de informações entre os fiscos;
  • Redução de custos no processo de controle das notas fiscais capturadas pela fiscalização de mercadorias em trânsito;
  • Diminuição da sonegação e aumento da arrecadação;
  • Suporte aos projetos de escrituração eletrônica contábil e fiscal da Secretaria da RFB (Sistema Público de Escrituração Digital ? SPED).

Benefícios para o Contribuinte Comprador (Receptor da NF-e):

  • Eliminação de digitação de notas fiscais na recepção de mercadorias;
  • Planejamento de logística de entrega pela recepção antecipada da informação da NF-e;
  • Redução de erros de escrituração devido a erros de digitação de notas fiscais;
  • Incentivo ao uso de relacionamentos eletrônicos com fornecedores (B2B);

Benefícios para o Contribuinte Vendedor( Emissor de NF-e):affordable

  • Redução de custos de impressão;
  • Redução de custos de aquisição de papel;
  • Redução de custos de envio do documento fiscal;
  • Redução de custos de armazenagem de documentos fiscais;
  • Simplificação de obrigações acessórias, como dispensa de AIDF;
  • Redução de tempo de parada de caminhões em Postos Fiscais de Fronteira;
  • Incentivo a uso de relacionamentos eletrônicos com clientes (B2B);

Agora, sabendo dos benefícios, surgem as duvidas do que é preciso para utilização da NFe. Não é mesmo? A boa noticia é que a utilização da Nota Fiscal Eletrônica é muito simples e fácil, vamos lá!

Emissão da NFe:

Para emitir uma Nota Fiscal eletrônica há a necessidade de certificados digitais e um software emissor.

O certificado digital funciona como uma assinatura digital e garante a segurança dos seus dados dentro dos servidores da SEFAZ. Outro beneficio da certificação digital é a segurança da procedência dos seus documentos.

As funções do Software são realizar as transmissões das informações da nota fiscal para o servidor da SEFAZ e receber como resposta uma chave de autorização que futuramente gerará a nota fiscal eletrônica. Um bom software também consegue organizar alíquotas de impostos e fazer toda a gestão de estoque, vendas e financeiro.

Posteriormente a SEFAZ autorizar as Notas, o receptor, assim como a empresa emissora, poderá consultar a NFe pela internet.

O Software Uniplus fornecido pela Ideal Sistemas, tem uma poderosa ferramenta para tornar este processo ainda mais facil, permitindo que você consulte e baixe a NFe dentro do próprio sistema.

Mas sem documentos físicos, onde irei arquivar minhas Notas Fiscais?file+xml+icon-1320183613266774856_512

Bem como as antigas notas fiscais em papel, as eletrônicas também tem a necessidade de serem arquivadas. O que muda é onde serão. Agora, o que você irá guardar são os arquivos eletrônicos (XML) em pastas no computador da sua empresa, ou armazenamento em nuvens (como o Google Drive).

Um bom software não faz uso de funções externas, o mesmo já possui uma busca pelas notas fiscais integradas. O Uniplus tem a versão Web, que armazena as notas na nuvem e da acesso instantâneo as mesmas. A Versão desktop salva as Notas no seu computador, mas você não precisa procura-las, o próprio sistema faz isso por você.

Conclusão:

Para os varejistas a NFe é de extrema importância. Focar em um software poderoso e investir na infraestrutura é essencial para não ter problemas. Gerenciar um bom funcionamento de NFe fará com que você e sua equipe ganhem tempo e deixem de perder dinheiro.

Se ainda lhe restaram algumas dúvidas sobre NFe ou assuntos semelhantes, nos envie uma mensagem: botão-whatsapp-300x100

O que Significam os Números da Chave NF-e

A NFe é nada mais é que a versão digital da antiga nota fiscal e é usada para os mesmos objetivos como padronizar e fiscalizar, mas com o adicional de lidar com mais praticidade nos assuntos que envolviam a Nota Fiscal antiga. Saiba mais sobre a NFe lendo nosso artigo focado somente em explicar o que é a chave clicando aqui.

A chaves NFe estão presentes em praticamente todos os dias da vida de um comerciantes e são de suma importância para o funcionamento do comercio brasileiro atual. O que chama atenção é que quase todas as pessoas que tem as notas fiscais eletrônicas em mãos todos os dias não sabem pra que servem e como são geradas as chaves NFe. Neste artigo iremos explicar como são gerados esses 44 dígitos e porque eles são tão importantes.

Exemplificando:

Se tomarmos como exemplo a chave numero: 91080107878344000781990010000000981364771127 temos especificadas nela 9 elementos, que são (da esquerda para direita):

Código do Estado = 91

Ano e mês da emissão da NFe = 0801

CNPJ do Emitente = 07878344000781

Modelo da NFe = 99

Série da NF-e = 001

Número da NF-e = 000000098

Tipo da emissão = 1

Código da NF-e = 36477112

DV (digito verificador) = 7

Caso ainda não tenha ficado de fácil entendimento, nós da Ideal Preparamos um guia que você pode até salvar para usar como exemplo quando quiser entender suas notas fiscais:

Essas informações são importantes para evitar qualquer tipo de erros relacionados a emissão das notas e todo processo que a sucede.

Ainda tem dúvidas? Nos envie uma mensagem:

Grandes Vantagens em Aceitar Cartões na Sua Empresa

Ter uma variedade de formas de pagamento é quase tão importante quanto ter uma grande variedade na grade de produtos em estoque. Com mais opções na hora da efetuação do pagamento o seu cliente poderá ter mais poder de decisão e se sentira mais a vontade para finalizar a compra. Aceitar cartões de crédito é uma ótima estratégia quando se almeja uma expansão na venda de produtos e serviços da sua empresa. Aceitando cartões a sua chance de perder vendas por seu cliente não ter saldo disponível no momento é menor. Caso ainda não esteja certo de que aceitar cartões pode beneficiar sua empresa, acompanhe esse post pois separamos uma lista para que você conheça outras vantagens.

                           icons8-mastercard-200                           icons8-american-express-100                           icons8-visa-200                           

1: Aumento nas Vendas

Aceitar cartões no seu comercio aumenta de forma significativa as vendas. O aumento pode variar de 5 a 18% (dependendo do porte da sua empresa) e gerar uma quantidade de vendas muito maior. Pesquisas indicam que após começar a aceitar cartões nenhum comercio teve registro na queda das vendas.

2: Expansão no Número de Clientes

Com base nos dados disponibilizados pela revista Valor, ao fim do ano de 2019 o nosso país tinha um numero maior que 123 milhões de cartões de crédito e com a digitalização dos pagamentos é de se esperar que essa quantia tenha um grande crescimento nos próximos anos. Esses números se tornam mais interessantes quando imaginamos a quantidade de potenciais clientes com o poder de compra ligado a cartões.

3: Prátcredit-cardicidade e Vantagens

Atualmente, muitos consumidores tem mais apreço por pagamentos de forma digital, pois essa forma de pagamento traz mais praticidade, por não necessitar de papeis ou cédulas, e controle no momento da compra. Outro fator que faz os clientes optarem por pagar com cartões são os benefícios que cada banco disponibiliza aos clientes para os incentivar a comprar com cartões, como cashback e milhas de vantagens.

4: Segurança

Uma das mais importantes características de uma compra é o nível de segurança a presente nela. Os cartões trazem com eles formas mais seguras para ambos os lados no momento da negociação. Tanto o cliente quanto o vendedor poderão disponibilizar de um processo mais seguro pois em instantes o extrato da compra estará no app e/ou internet banking do cliente e o vendedor não precisará mais se preocupar com o velho medo de roubos a sua caixa registradora que, com um bom fluxo diário de vendas, termina o dia cheia de dinheiro.

5: Parcelamento

Muitas vezes os clientes deixam de comprar um produto devido a falta de pcredit-card-machinearte do capital necessário para realizar a compra. Com os cartões isso acaba, pois há a opção de um pagamento com divisão do valor total em parcelas, que serão debitadas de forma automática no dia combinado entre as partes no instante em que for realizada a aquisição do produto.

6: Pagamento Garantido

Mesmo que não consiga ver o dinheiro no momento em que seu produto foi vendido, levando em consideração que algumas formas de pagamento demoram até 30 dias, você terá a garantia de que receberá. A divida do cliente não será com você e sim com o banco responsável pelo cartão do mesmo. Abandone o fantasma da inadimplência até em compras parceladas pois o pagamento das mesmas será responsabilidade do banco, uma instituição muito maior e muito mais segura que uma pessoa física.

Caso ainda tenha duvidas sobre aceitar cartões em sua empresa, nos envie uma mensagem: botão-whatsapp-300x100